Rotina ou vida no interior

Tô em casa.
Penso na vida no interior.
Melhor dizendo, penso na minha vida em cidade pequena do interior.
Destino previsível desde a infância.
O tempo passa. Nada acontece.
Vou ficando velha. Rabugenta. Nove e meia tô na cama.
Acordo cedo. Durmo cedo também.
Fico de saco cheio um tempão. Me dá a louca. Quero ir embora.
Peço demissão.
Arrumo as malas. Ele chega.
Nós dançamos. Eu sonho. Ele encanta.
Eu desmancho meus planos. Eu espero. Nada acontece.
Ele vai embora. Eu fico no chão. É tudo silêncio.
Eu me levanto. Nada acontece. Penso na vida.
É minha vida. Nada acontece. E eu continuo na pequena cidade do interior.


Crédito da foto: Ainda Meyer, sob licença CC0.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.