730

Eu não posso acreditar que já é seu segundo aniversário. Como passou rápido! Parece que foi ontem a primeira vez que eu te vi. Você chorando em meus braços e eu checando suas mãozinhas e pés pra conferir se todos os dedinhos estavam ali. Estranho, né? Eu sei. Mas é que a gente não sabe muito bem como vai reagir, como é que vamos nos sentir numa hora dessas. Absolutamente nada nos prepara para a maternidade e quase nada é como a gente imagina.

Não dá pra dizer que essa jornada tem sido fácil, filha. Se um dia eu te disser isso estarei mentindo (e mentir é a última coisa que quero fazer à você). São tantas as dores que uma mãe carrega nos ombros. É tanta a culpa que nos abraça nas noites em claro.  A gente gera uma vida no ventre  mas à medida que essa vida cresce, cresce também os anseios, as preocupações e os medos.

O mundo não é um lugar justo com as mães. E, talvez, é por causa de todas essas injustiças que muitas vezes somos consideradas sinônimo de força, de resiliência, de coragem. Nós somos tantas coisas, filha. E de tantos modos. E se somos é porque aprendemos a ser.

Comigo tem sido assim. Estou aprendendo e quem está me ensinando é você. É você quem me mostra o caminho. É você quem me revela as palavras.  Em quem eu encontro forças. Aonde começa e termina todo o sentido da jornada que trilhamos juntas.

Eu tenho tanta sorte em ter você. Sou tão feliz e agradecida pela oportunidade que a vida me deu de estar contigo e aprender contigo enquanto você cresce. Porque eu aprendo tanto sobre mim e um tanto mais sobre você.

Aprendo por exemplo a ter paciência, a não depender tanto do tempo e a encontrar todo-santo-dia  um jeito novo de fazer as coisas.

Aprendo a olhar a vida através dos seus olhinhos arredondados e amendoados que se encantam com tudo: com aviões no céu, com a lua e as estrelas, com árvores e flores, com os miaus e au-aus e com todas as pessoas a quem você vive dando tchau.

Aprendo a dançar no seu ritmo, a adivinhar as palavras que saem desordenadas pela sua boca e acalmar o seu coração quando ele está aflito. Aprendo que um colo e um beijo são os melhores remédios e que o seu riso frouxo é capaz de dissipar qualquer nuvem de tempestade.

E aprendo a ser contigo e a te deixar florescer. E enquanto você vai crescendo, cresce também em mim a certeza de que eu tenho muita sorte em ter você. ❤

Feliz aniversário minha filha, meu pequeno raio de sol. Que a vida sempre-lhe sorria que você tenha ao seu alcance toda a sorte do mundo.

Com amor,

Mamãe.

Brno, República Tcheca.

23/06/2017.

5 thoughts on “730

  1. que lindo Cati, me emocionei…voce descreveu com perfeição o que essa mãe aqui tbm sente…que sorte da Tete de ter essa mãe que vai tbm mostrar ‘a ela o mundo com esse olhar 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s